FEIJÃO NAVY ou HARICOT
Inglês: Navy bean (EUA) Haricot bean (Inglaterra) | Francês: Haricot         
 
Esta é uma das poucas qualidades de feijão que podem ser consumidas crus ou germinados, segundo a literatura.
 
ORIGEM: Originário da America Central, é hoje cultivado na Europa e Estados Unidos.Fazem parte da grande família dos feijões brancos e possuem muitas variedades, o que confunde a identificação do referido no estudo.
Quando desidrata, o feijão se torna pequeno e ovalado.Este é o feijão referido no estudo clássico realizado na Inglaterra na década de 40. Durante as longas viagens em navios os tripulantes eram acometidos de escorbuto. Neste estudo comparativo foi utilizado o limão e os brotos de feijão navy (daí o nome) para prevenção. O resultado foi que o broto de feijão superou em centenas de vezes o conteúdo de vitamina C . A partir daí, esses brotos passaram  a fazer parte da dieta dos navegantes.Está aqui no Livro Vivo apenas pela sua importância histórica, mas não encontramos no mercado brasileiro esta semente para consumo e também ainda não a identificamos.
 
MOSTARDA
Brassica nigra , Brassica hirta , Brassica juncea
 
Familia: Brassicaceae
 
ORIGEM: Planta conhecida como condimento culinário (sementes) ou alimento (folhas). As sementes apresentam-se na natureza com as cores negra (nigra), amarela (hirta) e marrom (juncea). A amarela e a marrom possuem uma substância que quando em contato com a água formam outras substâncias que conhecemos como o condimento mostarda. Esta é a forma mais conhecida de consumo da mostarda!
Não se sabe exatamente a sua origem. Sabe-se no entanto que o condimento já era utilizado por egípcios, gregos e romanos, esmagadas e salpicadas nas comidas. Estima-se que na idade média os cozinheiros franceses foram os primeiros a elaborar esse condimento.
A semente de mostarda é também citada na biblia carregando o mito de ser a menor semente do planeta (o que não é). Talvez essa fama seja atribuída a força do paladar em comparação com o tamanho tão pequeno!
 
DICAS: Semente difícil de se encontrar fresca no mercado, isto é,  em condições de germinação. Em geral ficam guardadas muito tempo nas prateleiras, viajam de longe e não germinam. Quando eventualmente encontramos podemos fazer brotos deliciosos no Ar ou na Terra!
Utilizamos em pequenas porções misturadas a outros brotos devido ao seu paladar muito forte.
 
PINOLE, PINUS, PINEA ou PIGNOLIA
Pinus edulis Engelm | Inglês:  Pine nut | Francês: Pinon | Italiano: Pignolia | Espanhol:piñon
 
FAMÍLIA: Pinaceae
 
ORIGEM: São sementes de uma espécie de pinheiro provenientes  de uma planta nativa, não cultivada, apreciada pelos indígenas no sudoeste dos EUA. Estas árvores crescem bem também na China, Itália, México e África do Norte.
As sementes ainda dentro do cone da pinha precisam ser aquecidas para facilitar a remoção da casca dura. Além disso, elas possuem uma gordura que em poucos dias se transforma e deixa o paladar rançoso. As sementes comercializadas são logo congeladas para preservar o sabor original. Ou seja: primeiramente aquecidas e depois congeladas... portanto não germinam mais!Tem sido utilizada pelos adeptos da alimentação viva menos atentos a origem das sementes. O pinole não faz parte da nossa culinária no Terrapia.
 
SORGO
Sorghum bicolor L. Moench | Inglês:Sorghum
 
FAMÍLIA: Poaceae          
 
ORIGEM: Uma planta da mesma família do milho também chamado de "Milho d' Angola" ou "Milho da Guiné”, “Milho-zaburro”, “Mapira”, sua origem  é provavelmente da África e da Índia, simultaneamente. Existem 4 diferentes tipos: o branco (marfim ou palha), o amarelo (grãos amarelos ou rosa-salmão), o vermelho (ou avermelhados) e os castanhos (claros ou escuros).
 
HISTÓRIA: Segundo registros arqueológicos, o sorgo foi domesticado para consumo humano e animal na África. Isso deve ter acontecido por volta de 3000 AC, ao mesmo tempo em que a domesticação e cultivo de outros cereais estavam sendo desenvolvidas no Egito Antigo. Foi introduzido na Europa por volta de 60 a 70 anos DC e na China no século III DC. A introdução nas Américas é bem mais recente e as sementes foram trazidas por escravos africanos por volta da metade do século XIX. Foi extensivamente cultivado nos EUA para produção de melaço, mas a partir da década de 40 (1940) é que a cultura se tornou significativa, com o surgimento das sementes modificadas. 
Uma planta moderna, produto da intervenção do homem (tecnologia genética).Atualmente, 35 % é cultivado diretamente para consumo humano e o restante na alimentação animal.No Brasil, o sorgo foi recentemente introduzido (década de 60) mas apenas como alimento de animais. Seu cultivo está se popularizando no Rio Grande do Sul e  estados do Centro Oeste, atualmente chamada de área “sorguera”. Está entre os cinco cereais mais cultivados em todo o mundo, depois do arroz, trigo, milho e cevada. É a base alimentar de milhões de pessoas em mais de 30 países. A EMBRAPA tem realizado muitas pesquisas e mostra o interesse em divulgá-la como semente para consumo humano. Isso porque é considerada fonte alta de energia e por ter a planta capacidade de viver em regiões muito quentes e secas. Uma das plantas mais versáteis e eficientes, crescem e amadurecem as sementes muito rápido.
O interesse no consumo humano atual é animado pelos nutricionistas que a consideram uma "fonte potencial de nutracêuticos" além de NÃO possuir glúten. Essas propriedades nutracêuticas estão associadas especialmente aos "taninos", que não era considerado bom nutriente,  mas agora é valorizado como protetor da saúde, associado a redução do risco de adoecimento (anti-cancer, doenças cardio- vasculares, diabetes tipo 2 e obesidade).
Dizem que possui um tipo de amido resistente, que os diabéticos podem comer, pois é absorvido lentamente.  Com tanta propaganda está aqui no LIVRO VIVO para animar a pesquisa entre os adeptos do consumo como sementes germinadas e a preparações na culinária viva.
Desconhecemos o uso como sementes germinadas na literatura, no entanto estamos plantando,  testando germinada e fazendo a pesquisa bibliográfica.
 
COMPRAS: O sorgo pode ser encontrado em casas de sementes para pássaros e germina muito bem! Encontramos apenas o tipo branco.
 
GERMINAÇÃO: Germina bem no Ar e se tornam macias.
 
DICAS CULINÁRIAS:  O sabor do amido é forte e não se mostrou agradável. Testamos  no suco de clorofila em decorrência de sua casca espessa.Na culinária convencional é usada como farinha, portanto falta essa experiência  na culinária viva.Como dissemos esta é uma semente em experimentação inicial, mas com vontade que se torne mais uma fonte de energia vital e bio-informação interessante!, apesar do empobrecimento gerado pela tecnologia genética.
 
TRIGO EMMER
Triticum turgidum L. subsp. dicoccon | Ingles: Emmer wheat    
 
FAMÍLIA: Poaceae       
 
ORIGEM: Segundo achados arqueológicos, este trigo data de 17000 AC e sua domesticação foi feita em 7700 AC. Foi um dos primeiros grãos domesticados e cultivados no passado, formado a partir da hibridização de outros trigos, no Crescente Fértil.
 
HISTÓRIA: Conserva ainda hoje quase a mesma  forma selvagem. Junto com a cevada este foi o tipo de trigo dominante no passado. Espalhou-se  durante o período Neolítico pela Europa, Índia e no sul da Mesopotâmia onde foi cultivado largamente, tornando-se o cereal padrão.
Nos dias atuais o Emmer  é um trigo de baixa produção, restrito a áreas montanhosas da Europa e da Ásia, masteve também um lugar especial no Antigo Egito. Era o único trigo cultivado no tempo dos faraós, mesmo que as regiões vizinhas cultivassem o einkorn, durum and trigo comum. Com ele se faziam os pães e as bebidas fermentadas. A fermentação, após um período determinado, transforma os acúcares facilmente em álcool e esta é uma possível razão para ter sido incluído entre “os cinco grãos proibidos”, citados na literatura dos rabinos em Israel.
Nos dias atuais a Italia cultiva um trigo semelhante, chamado FARRO com uma produção bem estável e em expansão. Mas é diferente do Emmer, mais selvagem onde alguns produtores mantêm o cultivo artezanal. É encontrada comercialmente em casas de alimentos naturais na Europa.
A tecnologia genética chegou no trigo Emmer, infelizmente!Uma reflexão aqui sobre a tecnologia genética "melhorando" (ou piorando?) as sementes para consumo humano:Os estudos de avaliação escolhem os parâmetro de avaliação que serão utilizados na pesquisa (indicadores).
Aqui a importância da originalidade não é considerada porque não se tem a visão do planeta como uno onde todas as espécies tem uma função determinada na rede da vida. Assim, mexer em sua constituição genética não se revela empobrecimento. Examinando os trabalhos científicos podemos ver esse valores ao escolherem os parãmetros de avaliação.
Vejam a descrição deste cientista: Durante a longa evolução da história, o trigo emmer selvagem foi acumulando alta diversidade genética como resposta adaptativa as várias experiências  bióticas e abióticas. Isso se refletiu na alta vaiedade de nutrientes. Durante a domesticação genética muitos deles foram excluídos e o resultado foi o empobreciemnto alimentar dessa semente.(Ann Both)
 
GERMINAÇÃO: A semente germinada no Ar . No verão cresce muito rapidamente em 6 horas na água tornando-se bem macia, como a aveia.
 
DICAS: Menos amilácea, seu paladar é mais neutro que o trigo comum adocicado. Os experimentos são aqueles do trigo.
 

Capítulo 4: Conhecendo as Sementes

Alimentação Viva e Agroecologia na Promoção da Saúde

Terrapia Saúde e Ambiente

Alimentação Viva

e Agroecologia na Promoção da Saúde

Telefone: 55 21 2598-2659

terrapia.terrapia@gmail.com

Instagram: projeto_terrapia

FIOCRUZ: Av. Brasil, 4365 ou Av. Leopoldo Bulhões, 1480 - Manguinhos.

Rio de Janeiro - RJ

Cadastre seu e-mail e receba novidades sobre Alimentação Viva!

  • Facebook Social Icon
Copyright© 2015 TERRAPIA