Amendoim

Arachis Hypogea L. | Inglês: peanut, groundnut ou monkey-nut

    

FAMILIA: Fabaceae

ORIGEM: Originária da América do Sul e simultaneamente da Costa do Ouro (África)
 
HISTÓRIA: O amendoim foi uma planta domesticada em tempos pré-históricos no Peru (5600 aC). A difusão do amendoim iniciou-se pelos indígenas para as diversas regiões da América Latina, América Central e México.No século XVIII  foi introduzido na Europa e no século XIX difundiu-se para as Filipinas, China, Japão e Índia. Vem sendo cultivado pelos índios como alimento e também pelas propriedades medicinais. Além do consumo "in natura", as sementes também podem ser utilizadas para extração do óleo e em produtos medicinais. Por esta razão a tecnociência vem fazendo muitas adaptações genéticas para produção de sementes com maior teor de óleo e, portanto, de maior interesse econômico. Mais uma vez temos uma semente sem a “informação” original.... As variedades cultivadas ainda hoje são: Tatu branco, Tatu vermelho, IAC Oirã e IAC Tupã.
O Brasil planta amendoim para consumo interno e possui várias espécies exóticas e originais, mantidas por famílias no interior do país que guardam as sementes.
 
CURIOSIDADES: As flores depois de polinizadas geram um fruto, que é uma vagem cilíndrica onde estão as sementes. As flores nascem bem próximas do solo e as vagens crescendo, se enterram (crescem forçando para baixo) para  que as sementes atinjam sua maturidade sob a terra. Esta é uma característica muito interessante, pois se trata de uma raridade entre as plantas.
Há alguns anos foi divulgada em larga escala a contaminação do amendoim pela Aflatoxina, sintetizada pelo fungo Aspergillus Flavus. Desde então a população tem receios no consumo desta semente. Curioso observar que as reações alérgicas aconteceram mais entre os americanos do que na China ou na Índia, onde o consumo é alto. Uma larga investigação vem sendo feita e existem várias hipóteses levantadas (novas “cultivares”, semente torrada ou cozida, associação com outros alimentos), mas novamente, a pesquisa sobre alimentos não é conclusiva e nem pode gerar informações definitivas!
Os especialistas, no entanto, controlam a qualidade através do manuseio e da secagem do amendoim e essas medidas já vêm sendo adotadas na produção.
Na Alimentação Viva, a semente consumida germinada, apresenta o sistema imunológico fortalecido pela própria explosão do crescimento e assim ela elimina os fungos.
 
COMPRAS: Observe a saúde das sementes e escolha as mais frescas, inteiras, com alto índice de germinação, coloração adequada e cheiro agradável. Esses devem ser nossos critérios ao comprar no comércio. Semente sadia germinação sadia! Nos mercados encontramos as sementes embaladas do tipo 1 e tipo 2, sendo as primeiras as mais selecionadas e melhor para germinação.  Como a semente é plantada duas vezes ao ano, conseguimos encontrar no comércio as sementes relativamente frescas o ano todo.
 
GERMINAÇÃO: A germinação doméstica no ar é muito fácil! Em 24h estão prontos para consumo. No verão até menos! As receitas são todas deliciosas e de fácil preparo. Podemos consumir com a pele, mas recomendamos que sejam retiradas porque podemos fazer uma melhor observação da germinação e retirar as que estão em decomposição.
 
AMENDOIM COM CÚRCUMA
Ingredientes:
1 xícara de Amendoim germinado sem pele
Pouco sal marinho
Gotas de limão.
Cúrcuma (açafrão brasileiro) *na quantidade suficiente para deixar o amendoim amarelo.
Preparo:
Coloque no processador e triture levemente. Acrescente orégano, cebolete picada ou aneto.
(Obs.: essa receita lembra a aparência de uma omelete!)

Capítulo 4: Conhecendo as Sementes

Alimentação Viva e Agroecologia na Promoção da Saúde

Terrapia Saúde e Ambiente

Alimentação Viva

e Agroecologia na Promoção da Saúde

Telefone: 55 21 2598-2659

terrapia.terrapia@gmail.com

Instagram: projeto_terrapia

FIOCRUZ: Av. Brasil, 4365 ou Av. Leopoldo Bulhões, 1480 - Manguinhos.

Rio de Janeiro - RJ

Cadastre seu e-mail e receba novidades sobre Alimentação Viva!

  • Facebook Social Icon
Copyright© 2015 TERRAPIA